Hub da Air France-KLM começa a operar no início de 2018. Setor hoteleiro cearense comemora

A Air France-KLM apresenta Paulo Ricardo Lobão, 41, executivo de vendas; e Fernando Campana, 50, gerente de aeroporto, como os representantes das companhias em Fortaleza. Ambos ficarão baseados na capital cearense a partir do início do ano que vem. As tarifas para os voos de/para Fortaleza já estão disponíveis no GDS (Global Distribuition System – sistema que realiza a comunicação eletrônica entre as agências de viagens e as companhias aéreas) e as vendas já começaram nos sites das duas empresas, além das agências de viagens. Os voos da Air France-KLM serão operados a partir de maio de 2018, em pleno verão europeu. Fortaleza receberá cinco voos semanais de Paris e Amsterdã. Serão três da KLM e dois voos da Air France, operados por uma aeronave da recém-lançada companhia aérea da empresa francesa, a Joon. Diversos integrantes do trade turístico cearense comemoraram o lançamento das novas operações da Gol e Air France/KLM, no hub que começa a operar no ano que vem. Segundo o empresário Manoel Cardoso Linhares, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih Nacional), o impacto econômico do hub é comparável ao de uma refinaria. “Até mais, porque a refinaria tem resultados que ficam em poucas mãos e o hub impacta, no mínimo, 54 setores. Todos ganham, desde os artesãos, os taxistas, os restaurantes, casas de eventos, hotéis. Foi uma grande conquista para o Ceará e tenho certeza que as pessoas que farão conexões aqui, deverão passar um ou dois dias, no mínimo, em nossa Capital, fazendo com que não tenhamos mais época de baixa estação. Isso deverá melhorar as taxas de ocupação dos nossos hotéis e haverá ganhos generalizados”, disse. O presidente da Abih-CE, Elizeu Barros, disse que o hub foi um gol de placa do governador Camilo Santana e sua equipe. “Esse hub, com a nova concessão da Fraport no nosso aeroporto, realmente Fortaleza se consolidará como um verdadeiro e grande destino internacional. Até então, isso era bem aquém do nosso potencial e, agora, não só com estes cinco voos que vão começar e muitos outros virão, outras companhias nos procurarão, e todo o trade turístico tem de comemorar essa grande vitória obtida pelo Ceará, que trará um impacto muito grande na economia, na geração de emprego e renda que trará para nós, que ainda não pode ser mensurado no curto prazo. É um processo em cadeia que possibilitará grandes ganhos”. Relevância Já o diretor-geral do complexo turístico Beach Park, Murilo Pascoal, tem uma expectativa bastante positiva com relação ao fluxo de turistas, nacionais e internacionais, para o Estado. “Trata-se de um momento de grande transformação para o turismo do Estado. Estamos com uma expectativa muito boa com relação a esse aumento de voos tanto da Air France/KLM, quanto da Gol, internamente, que vão ajudar muito o movimento turístico para Fortaleza, o Ceará, e para nós também do Beach Park. Nossa expectativa é positiva para os próximos anos, principalmente com a operação do aeroporto com a Fraport AG, que poderá atrair outras companhias aéreas para operarem aqui”, salientou. O empresário Rodolfo Trindade, presidente da Abrasel-CE, disse que esse hub trará excelentes resultados para o setor turístico e produtivo cearense como um todo. “A gente esperava isso há muito tempo. Recebemos entre 200 e 250 turistas estrangeiros anualmente, o que é pouco para o nosso potencial. Devemos estar entre 14º e 16º lugar em nível de Brasil, que também recebe poucos estrangeiros, cerca de 5 milhões. Só a Torre Eiffel é visitada por 7 milhões de pessoas anualmente, a República Dominicana recebe quase o dobro. Vai ser uma espécie de marco zero para o turismo internacional no Ceará, pois como a Fraport administra o Aeroporto Internacional de Lima, Fortaleza poderá ser conexão para quem se destina aos países do lado do Oceano Pacífico”, lembrou. E o presidente da Abav-CE, Colombo Cialdini, afirmou que o momento que o Ceará atravessa é um dos melhores possíveis, pois o grupo Air France/KLM possui bases em diversos países da Europa, que somado à Gol, companhia aérea nacional que mais tem frequências para cá, e vai dobrar esse número, fortalece o turismo internacional e doméstico, pois Fortaleza será um hub para o Norte e Nordeste. “Esse momento é um divisor de ares, antes e depois do hub em nosso Estado, pois interessa a todos, emprega muita gente e deve aquecer toda a nossa cadeia produtiva: agências de viagem, locação de veículos, o Beach Park, finalização do Acquario Ceará, vendas de artesanato e o Ceará ser uma das grandes portas de entrada e saída do Brasil, devido à sua posição geográfica privilegiada”, finalizou.

E nós?

Esse talvez seja o momento propício ou as "golden hours", como queiram, para a alavancada do turismo em Paracuru e região. Trades hoteleiros destes dois municípios deveriam estar excitados com a possibilidade de aproveitamento dessa demanda de turistas que se apresenta para o Estado e que, obviamente, não interessa apenas à capital. Têm eles pensado assim?