Ceará é segundo em fusões e aquisições no Nordeste

20/02/2018

 

Um número maior de empresas nordestinas passou para as mãos de estrangeiros em 2017. Com as dificuldades do País e preços mais baixos, o mercado de fusões e aquisições ganhou notoriedade.

Sessenta empresas concluíram processos de venda no ano passado. Em 2016, a marca atingida era de 39 negócios. Dessas operações, 33 ocorreram no mercado doméstico e 15 com estrangeiros.

O Ceará foi o segundo estado da região em volume de fusões e aquisições em 2017, perdendo apenas para Bahia. Pelos dados da consultoria KPMG, que realizou levantamento comparativo do setor nos últimos dois anos, 14 operações tiveram sucesso no Estado. Na Bahia, esse número chegou a 19 e, em Pernambuco, a nove operações.

ENERGIA

ATRAÇÃO DE VENDA

A área de energia se destacou no segmento de fusões e aquisições no ano passado. Na região, nove projetos tiveram êxito na criação de parcerias e venda de ativos, principalmente para estrangeiros. A quantidade de empresas vendidas superou o total alcançado em 2016, quando quatro transações foram fechadas.

O setor petrolífero também chamou atenção na região, com a venda de sete empresas, seguido pela atividade de laboratório e hospitais (seis negócios fechados). Em todo o País, o setor de óleo e gás teve aumento de 40% em 2017, se comparado ao mesmo período do ano anterior. Foram 28 operações de fusões e aquisições fechadas em 2017. 

COMPARTILHAR NO FACEBOOK
COMPARTILHAR NO TWITTER
Please reload