Demanda por vacina é maior do que a oferta atual no Ceará

25/04/2018

 

O Ceará recebeu até o momento 36,5% das doses da vacina contra a influenza previstas para cumprimento da meta de imunização. A quantidade, de aproximadamente 918 mil, não tem sido suficiente para dar conta da procura nesses cinco primeiros dias da campanha. A Prefeitura de Fortaleza enviou documento ao titular da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Henrique Javi, que está em Brasília, solicitando envio de um quantitativo maior de doses pelo Ministério da Saúde (MS).

A coordenadora de imunização da Sesa, Ana Vilma Leite Braga, destaca que, até o dia 15 de maio, todas as doses deverão ter chegado ao Estado. A campanha chega ao fim no final de junho, quando a circulação do vírus já é bem menor. “Tem vacina garantida para todos, 100% do grupo prioritário. Mas não temos condição de receber todos ao mesmo tempo”, avaliou Ana Vilma.

Em muitas unidades de saúde, as doses disponibilizaas diariamente se esgotam no turno da manhã. Vilma detalhou que a previsão de envio pelo MS é de seis remessas das vacinas. Até ontem, chegaram um lote de 20%, outro de 9% e metade, 7,5%, de um terceiro. A outra metade deverá chegar na sexta-feira, 27. A promessa do MS é de que o Estado receba 2.515.300 doses destinadas a imunizar 2.286.580 pessoas. Em Fortaleza, conforme a coordenadora de imunização da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Vanessa Soldateli, inicialmente essas primeiras doses deveriam ter sido direcionadas apenas aos pacientes acamados e trabalhadores da saúde. O restante do grupo de risco só entraria na campanha na próxima semana. “Mas a situação epidemiológica fez com que a gente antecipasse. Os casos nem são maiores, mas a população entrou em pânico”, justificou. Vanessa reconheceu que alguns postos podem amanhecer hoje sem vacina. “Depende da demanda de cada unidade. Hoje está faltando, mas pode ser que amanhã chegue”, disse.

No município do Eusébio, a 24 km da Capital, as mais de três mil doses recebidas também acabaram. “Hoje (ontem) recebemos 1.140 doses e no final da tarde já não tinha”, detalhou o titular da Secretaria da Saúde da Cidade, Mário Lúcio Ramalho Martildes. A Sesa informou ao Município que enviaria nova remessa, mas a quantidade não foi repassada. “Esperamos que a Sesa esteja tratando das providências para dar conta da demanda dos municípios”, disse. São 17 postos no Eusébio e cada um tem recebido cerca de 80 doses diárias.

Quem produz as vacinas no Brasil é o Instituto Butantan, em São Paulo. A capacidade de fornecimento é de 60 milhões de doses. Diante da demanda, o Governo Federal ainda precisou comprar mais cinco milhões de doses. 

Tags:

COMPARTILHAR NO FACEBOOK
COMPARTILHAR NO TWITTER
Please reload