Tartaruga de 90 kg encalha na praia de Paracuru, no litoral cearense


Uma tartaruga cabeçuda (Caretta caretta), de 98 cm de comprimento e pesando 90 kg, foi resgatada depois de encalhar com vida em uma praia de Paracuru (distante 90,9 km de Fortaleza), no último sábado. A espécie marinha, que está ameaçada de extinção segundo a assessoria de imprensa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente no Ceará (Ibama-CE) e o site do Projeto Tamar, foi trazida pela Guarda Municipal da cidade litorânea para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) que fica em Fortaleza.

Do Cetas, a tartaruga seguiu para o projeto Tamar onde passou por avaliação e foi constatado que a cabeça do animal apresentava um ferimento compatível com a entrada de um arpão. A tentativa de captura teria deixado o bicho desorientado e daí o encalhe no litoral do Ceará. No geral, a Caretta caretta apresenta bom estado de saúde e deverá ser devolvida ao mar em alguns dias.

A espécie, de acordo com o site do Tamar, ocorre nos mares tropicais e subtropicais de todo mundo e também em águas temperadas. Geralmente, ao longo do ciclo de vida, os filhotes e juvenis vivem em alto-mar e os adultos em áreas de alimentação situadas a profundidades entre 25 a 50m.

As tartarugas cabeçudas, também conhecidas por tartaruga-amarela, tartaruga-meio-pente ou tartaruga-mestiça, são carnívoras e se alimentam de caranguejos, moluscos, mexilhões e outros invertebrados. No Brasil, as áreas prioritárias de desova estão localizadas no Espírito Santo, Bahia, Sergipe e litoral norte do RJ. O Projeto Tamar estima que existem, aproximadamente, 8.200 ninhos por ano no litoral brasileiro.