Itabira é a primeira cidade da América Latina no programa ONU Mulheres


A plataforma “Cidade 50-50: todos e todas pela igualdade” atuará na promoção da igualdade de gênero

A Prefeitura de Itabira - MG e a ONU Mulheres firmaram no dia 15 de agosto de 2019 o acordo inédito de cooperação técnica para enfrentamento à violência contra as mulheres. A cidade será a primeira da América Latina a adotar estratégias da plataforma “Cidade 50-50: todos e todas pela igualdade” da organização internacional.

Presente à solenidade, a representante interina da ONU Mulheres, Ana Carolina Quirino, afirmou que a Itabira é “pioneira no desenvolvimento de passos concretos para se tornar amiga das mulheres”. Durante a cerimônia, vítimas de violência doméstica deram depoimentos sobre momentos em que estiveram imersas no ciclo de violência, sendo agredidas e marginalizadas.

A presidente da Federaminas Mulher, Yêda Fernal, também participou do evento de assinatura do acordo e, em seu discurso, comentou sobre a necessidade de representação feminina no mercado de trabalho. “Das 300 associações comerciais mineiras, apenas 49 mulheres ocupam cargos de gestão. Queremos ocupar espaço como pessoas porque competência não usa saia nem calça”, disse a presidente.

A proposta do Cidade 50-50 é que, ao final do projeto, as itabiranas tenham, de forma efetiva, iguais oportunidades e uma vida livre de violência até 2030.

Como funciona?

O projeto será desenvolvido ao longo de dois anos, com o custo de R$ 694.374,66. A proposta de adesão ao programa foi da vice-prefeita Dalma Barcelos (PDT). O programa vai atuar na geração de emprego e renda, governança e planejamento, empoderamento econômico, participação política, enfrentamento à violência contra a mulher, educação inclusiva e saúde.

A plataforma será desenvolvida junto com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo. A ideia é dialogar com as empresas para que deem oportunidades de emprego para as mulheres. A proposta visa a criação de um polo de mão de obra feminina para oferecer emprego em massa para as mulheres.

Cronograma

Conforme Ana Carolina Quirino, durante o desenvolvimento do projeto, serão revisados os fluxos da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres com base em diretrizes internacionais, incluindo abordagem da violência contra mulheres negras. Nas escolas municipais serão realizadas a campanha “O Valente não é violento”, para conscientizar jovens e adolescentes sobre o tema.

Dentro da iniciativa, também estão programadas oficinas de capacitação eleitoral, a fim de aumentar a participação feminina no cenário político. O Plano Municipal de Políticas para as Mulheres será elaborado com o apoio técnico da ONU Mulheres.

Referência

O pioneirismo itabirano se deve às ações desenvolvidas nas áreas de saúde, educação, moradia e enfrentamento à violência. A cidade entregou mais de 90% das unidades de moradia social a mulheres e reduziu a zero a taxa de mortalidade maternal de 2007 a 2016.

O município também aderiu ao projeto Cidades Sustentáveis, no qual estão os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da ONU, sendo que o quinto está relacionado à igualdade de gênero.