Idoso que faz academia vira ‘influencer’ de hábitos saudáveis


Um idoso de 91 anos que vai à academia três vezes por semana virou mais do que uma inspiração para os outros alunos, mas um influenciador digital de hábitos saudáveis.

No ano passado, Lloyd Black, decidiu ingressar na academia Anytime Fitness em Semmes, Alabama (EUA), depois de perceber que não tinha condicionamento físico para fazer tarefas domésticas simples.

A ideia era fazer exercícios para fortalecer a musculatura e parar de sofrer para lavar a louça ou varrer o chão, além de reduzir as dores crônicas que ele sente pelo corpo.

Seu look de treino chama atenção, um macacão azul, porque, nas palavras dele, “são mais quentes, confortáveis e não preciso ficar levantando as calças toda hora”.

A gerente da academia, Ashley Seaman, conta que no início o idoso mal conseguia andar na esteira por 10 minutos, pois ficava sem fôlego. Hoje, fica 30 minutos tranquilamente – e ainda faz outros exercícios, como levantamento de peso e musculação.

“Ele é uma alma muito amigável”, disse Seaman ao Today. “E é fofo, porque ele vem pra cá usando tênis cor de prata. Além disso, ensina aos outros idosos como usar os aparelhos.”

Reconhecendo o esforço de Black, a gerente da academia nomeou o idoso de 91 anos como o “Aluno do Mês”.

“O Sr. Black se tornou parte de nossa família há um ano e não vimos nada além de motivação e inspiração dele desde que começou”, escreveu a academia em um post no Facebook . “Ele, que tem 91 anos, se ‘gaba’ de quanto sua rotina de exercícios o ajudou em suas atividades diárias.”

“Ver alguém como ele inspira outras pessoas a seguir em frente e incorporar a atividade física em sua vida”, acrescentou. “Vê-lo na academia, três vezes por semana, exercitando-se com seu macacão ilumina nossos dias e esperamos tê-lo por muitos mais anos!”

As fotos do idoso na academia viralizaram. Os internautas elogiaram o Sr. Black por ser um modelo tão positivo.

“Ele diz que, mesmo antes de chegar à academia, faz alguns minutos de bicicleta em casa e isso o ajuda a se levantar e fazer as coisas pela manhã”, disse Seaman. “[Ele mostra] que a idade é apenas um número, isso não significa que você não pode entrar na academia e nunca é tarde demais”, concluiu.

Nunca é tarde e Black não está sozinho: relembre as histórias de uma vovó que pega pesado na academia e de uma brasileira que bateu um recorde mundial na natação aos incríveis 100 anos de idade.

POR GABRIEL PIETRO