SP: Ônibus rosa pede igualdade! Mulheres ganham 22% menos


Começou a circular em São Paulo um ônibus cor-de-rosa. E é mais do que uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

Trata-se de uma ação da SPTrans para destacar a importância da mulher na sociedade e a história de luta por igualdade de direitos.

A desigualdade histórica pode ser vista, por exemplo, no trabalho.

Em 2019, elas ganharam 22% menos que eles. Enquanto os homens receberam, em média, R$ 2.495, no último trimestre de 2019, as mulheres receberam R$ 1.958, de acordo com análise do Dieese. (veja abaixo)

O ônibus

O ônibus envelopado de rosa vai circular durante todo o mês de março nas linhas que operam na zona norte de São Paulo.

Ele passará por quatro linhas:

106A/10 – Metrô Santana – Itaim Bibi

175T/10 – Metrô Santana – Metrô Jabaquara

209P/10 – Cachoeirinha – Terminal Pinheiros

175P/10 – Metrô Santana – Ana Rosa

Desigualdade

Levantamento feito pelo Dieese mostra uma discrepância salarial de 22% entre homens e mulheres em 2019.

As análises fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua no trabalho formal e também informal.

Entre os trabalhadores com ensino superior, a diferença chega a 38%. Eles tiveram salário médio de R$ 6.292, e elas, R$ 3.876.

No segmento de diretores e gerentes de empresas, a diferença foi de 29%.

Elas ocuparam 40% desses postos, recebendo R$ 29 a hora trabalhada, enquanto eles ganharam R$ 40 em média.

A técnica do Dieese Camila Ikuta explica que uma das intenções do levantamento era demonstrar a discrepância salarial entre gêneros, inclusive em situações equivalentes. “Mesmo quando a mulher está no mesmo patamar, seja em relação ao nível de escolaridade, seja no tipo de cargo, ainda assim existem diferenças. É importante pontuar que, na média, a mulher tem mais anos de estudo do que o homem”, concluiu.

Com informações do Metro e RedeBrasilAtual