Investidores alemães da Fyber planejam aporte de R$ 60 mi em pousadas de serviços premium no Ceará



Paracuru é uma das cidades que deve ter investimento alemão para construção de um hotel de luxo.


Os investidores da alemã Axxola GmbH anunciaram que estão realizando aporte de R$ 60 milhões no Ceará em projeto de construção de dois empreendimentos de hotelaria de luxo no litoral do Ceará. Ao O POVO, o CEO da empresa, Dirk Wittenborg afirma: "este não é apenas um hotel de luxo, mas sim um estilo e qualidade que consideramos uma Pousada Boutique, uma versão premium de uma pousada". As pousadas ficarão localizadas nos municípios de Fortim e Paracuru. O terreno de pelo menos uma das pousadas já foi adquirido. Ainda de acordo com a Axxola, o hotel será combinado com várias vilas privadas que as pessoas interessadas possam querer construir. Estas vilas privadas podem usar as instalações do hotel. No geral, será uma combinação de vilas privadas com serviço completo e um hotel boutique de luxo. Quero conteúdo exclusivo!Tenha acesso aos nossos colunistas, Numa fase posterior, a Axxola pode convidar investidores interessados a participar do projeto. De acordo com o secretário do Turismo do Ceará (Setur), Arialdo Pinho, o contato entre os investidores sobre o aporte no setor de hotelaria iniciou em uma reunião há 45 dias, na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) quando estes vieram assinar acordos para instalação de usina para produção do buggy Fyber. "Estamos avançando e analisando as possibilidades, mas ainda é embrionário." Buggy Fyber Idealizado por Rogério Farias e Milton Nunes em 1983, no Ceará, o buggy Fyber foi pioneiro no Brasil e se tornou líder na categoria automóvel buggy para dunas. Adquirido em 2019 pelo investidor alemão, a marca está produzindo os veículos em Fortaleza de forma provisória. Deve passar em breve para fábrica em Paracuru e produzir 300 veículos ao ano até que a fábrica definitiva seja inaugurada.

No novo espaço, também em Paracuru, a expectativa é produzir dois mil automóveis por ano a partir do momento em que a nova fábrica seja liberada, em 2023.