top of page

Marca histórica: número de mulheres empreendedoras cresce no Brasil


Mais de 34% dos empreendedores do país são mulheres. É o que aponta a última pesquisa do Sebrae feita com base em dados do IBGE. O número reflete uma marca histórica alcançada ainda no terceiro trimestre do ano passado: 10,3 milhões de mulheres estão à frente de seus próprios negócios no Brasil. Para alargar ainda mais essa estatística e refletir a potência desses negócios, trouxemos algumas marcas cearenses femininas para você deixar no seu radar, na hora que for escolher de onde comprar.



Atrás apenas de Estados Unidos, China e Japão, o Brasil é o quarto principal mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo. E a perspectiva é que este segmento continue em expansão. Boa notícia para quem empreende no setor, como é o caso da fisioterapeuta Sarah Façanha, que há mais de dez anos decidiu investir na área da estética facial e corporal. Começou a atender à domicílio e em clínicas de estética, até que decidiu abrir seu próprio negócio. Hoje atende no bairro Aldeota e para marcar um espacinho na sua agenda basta acessar o Instagram Sarah Estética.


Trabalhando com moda há mais de 30 anos, Diana Souza sempre esteve nos bastidores do mundo fashion. Foi na pandemia, que ela e a filha, Marina Fontanari, advogada de formação, decidiram unir suas expertises para empreender. Assim, em outubro de 2021, nasceu a Patú. As memórias de suas vivências no Sertão Central do Ceará, terra dos avós de Diana, serviram de inspiração para criar uma moda regional de apelo global, na qual o carro-chefe é uma alfaiataria sofisticadamente relaxada, cheia de referências emocionais e visuais do semiárido nordestino. Diana foi uma das convidadas da live do Movimento Empreender e conversou sobre o mercado de moda do Nordeste e as inspirações que norteiam a marca.


Quem entra na Casa Azû, no bairro Benfica, logo sente um cheirinho que circunda o ambiente. É nos fundos da antiga e charmosa casinha, que abriga diversas pequenas marcas cearenses, que a química Brunna Angélica desenvolve os produtos da Meu Eco. A marca, focada em cosméticos naturais veganos e sustentáveis, nasceu em 2019, no último mês do mestrado da empreendedora, que sonhava em desenvolver uma marca que aliasse sua vontade de ter um negócio à preservação do meio-ambiente. Hoje, Brunna desenvolve uma linha completa de produtinhos que, além de cuidarem da beleza, são totalmente amigos do meio-ambiente. Na Casa Azû é possível ainda conhecer outras marcas femininas que expõem no espaço.


Do Benfica para o Conjunto Palmeiras, que se destaca não só por sua moeda social, mas também pelos inúmeros pequenos negócios que fazem a economia do bairro girar. O Mercantil Senna é um deles, que há 34 anos faz parte do dia a dia do lugar. Da mercearia ao hortifruti, do açougue à lojinha no piso superior do prédio. A estrutura do Senna hoje é bem diferente daquela bodega da década de 80, quando Joana Darque de Souza e o marido, Francisco Alves de Souza – conhecido como Senna - , decidiram empreender. Hoje, o Mercantil Senna está sob a responsabilidade de Joanna, que parece ter nascido mesmo para empreender. Vai dar um rolê no bairro? Passa por lá!


Movimento Empreender – A hora é agora!

Quer mais dicas descomplicadas para aplicar no seu negócio hoje? Então acesse movimentoempreender.com e acompanhe conteúdos incríveis adaptados à realidade dos micro e pequenos negócios.


Fonte: O Povo


Comentários


bottom of page