Meninas conseguem mudar placas de trânsito focadas só em homens


Irmãs mudaram a placa local onde sinalizava que apenas homens trabalhavam no local

Blair Babione, de 11 anos, e Brienne Babione, de 9, estavam passeando por Carmel, nos Estados Unidos, com sua mãe, Leslie Babione, quando viram uma placa de sinalização no meio de uma avenida. Na placa, estava escrito "Homens trabalhando". Elas, então, se perguntaram por que mulheres não poderiam estar ali também, realizando um trabalho, e foram atrás de respostas.


As irmãs descobriram que a sinalização específica de gênero é contra a regulamentação de acordo com o Manual da Administração Federal de Rodovias sobre Dispositivos Uniformes de Controle de Tráfego (MUTCD) e escreveram cartas para a presidente do conselho municipal local, Sue Finkam, pedindo que as placas sinalizadoras que davam a entender que apenas homens estavam trabalhando no local fossem mudadas segundo essa lei.

"Isso me surpreendeu. Estou muito orgulhosa por elas fazerem perguntas e se questionarem sobre como poderiam mudar o que viram", disse Leslie para um jornal local.


Meninas leram suas cartas na prefeitura para profissionais mulheres de várias áreas


A carta das irmãs para Sue lembrou às autoridades municipais que as mulheres também trabalham na construção. Sue, então, apresentou uma resolução definindo o uso de placas de construção de gênero neutro, que foi aprovada por unanimidade.


"Tendo sido alertado sobre o preconceito de gênero nesta comunidade pelas cartas atenciosas de duas das residentes mais jovens da cidade, Blair Babione e Brienne Babione, o Conselho Comum opta por tomar medidas oficiais para promover a igualdade e inclusão. A sinalização 'Homens trabalhando' ou 'Homens no trabalho' comunica a mensagem falsa e inaceitável de que as mulheres não podem ou não devem trabalhar na construção civil ou em outras áreas relacionadas", disse a presidente em um comunicado.

Em 1º de março, Blair e Brienne compareceram a uma reunião do conselho da prefeitura, onde leram suas cartas e receberam a placa "Homens trabalhando" que as autoridades retiraram de um depósito. As meninas ainda ficaram emocionadas ao falar policiais e profissionais do corpo de bombeiros, todas mulheres.