Miremos-nos nos bons exemplos: Obras de mobilidade urbana melhoram a qualidade de vida das pessoas


Além de toda funcionalidade com relação ao trânsito e tráfego de veículos, as obras de mobilidade urbana da atual administração municipal de São José dos Campos - SP geram uma melhor qualidade de vida para a população.

Com projetos inovadores e conceitos modernos, as obras possuem acessibilidade, ciclovia, iluminação e readequação de movimentos, que permitem o estímulo a deslocamentos mais sustentáveis, seja para trabalhar ou praticar uma atividade física.

Quem trafega pela Via Cambuí, por exemplo, maior obra viária da história de São José dos Campos e que foi entregue esse ano, percebe a quantidade de pessoas que utiliza as largas calçadas e ciclovia da via para a prática de atividade física.

O morador do Jardim Martins Guimarães, na região leste de São José, Hélcio Fernandes, de 49 anos, tem usado a via e é prova dos benefícios que uma obra de mobilidade urbana nos padrões atuais de São José pode trazer.

“Voltei a praticar atividade física, comecei a andar de bicicleta há uns cinco meses e uso a Via Cambuí deste quando inaugurou, fiquei sabendo e fui pra lá. Melhorou meu sono, me dá mais energia. Estava sedentário, só andando de carro, com 84 quilos quando comecei a andar de bicicleta e agora estou com 76 quilos”, conta Hélcio que percorre cerca de 23 quilômetros quando sai para pedalar.

Outra pessoa que começou a andar de bicicleta após a entrega da Via Cambuí foi a moradora do Jardim Santa Júlia, Magna Tavares, de 45 anos. “Sem dúvida, foi de extrema importância pra viabilizar o trânsito, a gente precisava da via, da ligação pra desafogar o trânsito, mas essa área de ciclovia, de caminhada, o pessoal da região está usando muito, todo mundo gostando, com a obra em geral, pra andar de patins, pedalar, correr, crianças de bicicleta, não tínhamos esse espaço, foi muito bom, uso todos os dias pra pedalar ou caminhar”, comenta Magna que também teve uma melhora na saúde.

“Comecei a pedalar depois da via. Há muito tempo tinha em mente pedalar e não fazia porque não tinha um espaço apropriado. Sinto diferença na qualidade de vida, mais fôlego, mais disposição”, completa Magna.

Av. Salinas x Av. dos Evangélicos

Outra importante obra e que irá redesenhar a mobilidade na região sul de São José é a ligação da Avenida Salinas com a Avenida dos Evangélicos. O projeto tem aproximadamente 400 metros de extensão com duas faixas de rolamento por sentido, com calçada, ciclovia e rampas de acessibilidade.

A nova via irá agilizar a ligação entre as regiões do Bosque dos Eucaliptos e Campo dos Alemães e reduzir os deslocamentos dos moradores que, antes, improvisavam em um trecho estreito e de terra, que não permitia a passagem de veículos.

O ciclista e morador do Campo dos Alemães, Pedro da Silva, de 55 anos, costumava realizar o trajeto por essa “trilha” existente no local. “Sempre gostei de bicicleta e sempre passo por ali. Essa obra vai ser boa, porque não daremos toda aquela volta”, disse.

Também moradora do Campo dos Alemães, Maria de Fátima dos Santos, de 62 anos, reforça a mudança que a obra trará para a região. “Antes era um buraco que tínhamos aqui e dava medo de passar. Com a obra, vou passar por aqui e poder ir a pé para o trabalho e ao banco”, conta a munícipe que, atualmente, costuma utilizar o transporte público para realizar as atividades. “Não vou precisar dar uma volta”, completa. A obra marca uma nova era da região no quesito mobilidade urbana, que no passado, foi impactada positivamente com a chegada do asfalto.

A melhora na qualidade de vida também é influenciada por mudanças no transporte público, a exemplo das que ocorreram no complexo viário do Arco da Inovação, na região da rotatória do Colinas, que recebe mais de 60 mil trabalhadores em 1.246 viagens de ônibus todos os dias, além de 150 mil veículos que trafegam pelo local.

A obra permitiu uma série de melhorias, entre elas a implantação de baia e abrigos de ônibus, o que dá mais e melhores opções de embarque e desembarque aos usuários do transporte público. A instalação de um moderno sistema semafórico inteligente também contribui para uma melhor fluidez no trânsito, permitindo uma passagem mais rápida pela rotatória do Colinas.

Algumas linhas que trafegam pela região, inclusive, como a 311 e 313, tiveram uma redução de 14 e 17 minutos, respectivamente, no tempo médio das viagens no horário de pico da manhã, numa comparação entre os meses de março e julho deste ano, antes e após a entrega do Arco da Inovação.

As melhorias agradaram a moradora do Pousada do Vale, na região leste, Creuza dos Santos, de 57 anos. “Esse ponto aqui melhorou, agora só tem descida pra mim”, afirmou. “Está mais rápida [a viagem]”, completou Creuza, que utiliza a linha 313.

A moradora do Jardim Morumbi, na região sul, Norma Gouveia, de 60 anos, gostou da criação de uma baia com implantação de abrigo de ônibus nas proximidades da rotatória do Colinas. “Esse ponto ficou melhor. A acessibilidade ficou melhor e também é mais próximo do outro ponto [da avenida Jorge Zarur, onde alguns usuários realizam a integração]”, diz.

Outras obras

A população joseense terá ainda neste ano a entrega da obra na rotatória do Gás, no Jardim Americano, região leste, que irá melhorar o trânsito na avenida Tancredo Neves e estrada do Cajuru, com uma passagem de nível inferior, e a acessibilidade e segurança para pedestres e ciclistas.

Atualmente, também estão em andamento as obras das ciclovias do DCTA/Av. dos Astronautas, com seis quilômetros de extensão, e do complexo viário do Arco da Inovação, com 3,3 quilômetros. Ambas serão entregues ainda em 2020.

A primeira mudou a imagem da Avenida dos Astronautas, onde antes, ciclistas dividiam a via com os veículos. A segunda irá permitir, por exemplo, um deslocamento das regiões oeste e norte do município até a região sul, do bairro Dom Pedro II, totalmente por malha cicloviária.

A atual Administração Municipal investe em três importantes pilares para a segurança dos usuários das vias públicas: infraestrutura, educação e fiscalização.